Confira

Apresentação do presidente da SINCAL, Sr. Armando Mattiello, na Audiência Pública “Cenário da Política pública Brasileira para o Café”.

Faça Parte do Movimento SINCAL

Assine o Abaixo para e contribua para a luta dos cafeicultores

ANUNCIE AQUI!

(EM BREVE) Clique aqui para detalhes dos planos e modelos de anuncios.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

SINCAL denuncia - OIC manipula dados de produção do Brasil






terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Assista entrevista com o Diretor da SINCAL, Fernando de Souza Barros


Assunto de Primeira: sobre o mercado internacional

No Assunto de Primeira desta terça-feira (03) o apresentador Otávio Ceschi Júnior recebeu o diretor da Associação dos Cafeicultores do Brasil, Fernando Barros, para falar sobre o mercado internacional.

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

SINCAL na Audiência Publica da COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL


Acompanha ao VIVO a Audiência Publica com a participação da SINCAL



quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Filiação na SINCAL



Guapé/MG, 27 de Novembro de 2019

Prezados Amigos Cafeicultores,

Venho em nome da Associação dos Cafeicultores do Brasil – SINCAL, informar as últimas ações da diretoria da entidade. Estivemos presentes em vários eventos do setor cafeeiro durante estes últimos anos e recentemente no Fórum Mundial de Produtores de Café, onde reapresentamos os motivos para criação da Organização dos Países Produtores de Café – OCAFÉ. A semente da OCAFÉ foi plantada no Fórum da Colômbia em 2017, reafirmada no México em 2018 e agora, mais uma vez, apresentada no Fórum em Campinas/SP na última edição do evento.

         Estamos próximos à criação/fundação da OCAFÉ, com o apoio do Deputado Domingos Sávio. Estamos nesse momento com viagem à Brasília/DF, para discutir a implantação da OCAFÉ. É importante à participação de todos, porém, sabemos das dificuldades enfrentadas pelos cafeicultores.  A SINCAL estará presente e como é de conhecimento de todos, não temos verbas e custeamos as despesas de viagem, hospedagem e alimentação com recursos próprios, o que tem nos onerado significativamente.

         Venho pedir aos cafeicultores, empresários do setor cafeeiro, que façam parte desta luta. A SINCAL é a única entidade que representa e o cafeicultor.

         Colabore com a SINCAL, filie-se, contribua. As contribuições podem ser feitas via deposito em conta corrente, boleto bancário e cartão (via site www.sincal.org.br). Em anexo segue ficha de filiação.

         Desde já agradeço a todos os envolvidos e vamos em frente.

Atenciosamente,

Armando Mattiello
Presidente da SINCAL

SINCAL – O Cafeicultor é o principal








sexta-feira, 22 de novembro de 2019

SINCAL fará apresentação da OCAFÉ em Audiência Pública dia 28/11

A Associação dos Cafeicultores do Brasil – SINCAL, foi convidada, através do Diretor Marco Antônio Jacob, para apresentar a proposta de criação da Organização dos Países Produtores de Café – OCAFÉ em Audiência Pública a ser realizada dia 28 de Novembro de 2019 a partir das 09h30 no Plenário 6 do Ed. Anexo II da Câmara dos Deputados em Brasília/DF.
O presidente da SINCAL, Sr. Armando Mattiello, em nome da Associação, convida todos os cafeicultores e demais representantes do setor cafeeiro para participar desta importante audiência.
Desde já agradecemos ao Deputado Federal Domingos Sávio pela iniciativa de solicitar a audiência com o intuído de fortalecer todo setor produtivo da cafeicultura.


quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Denúncia sobre manipulação de dados da produção mundial de café pela OIC

Agricultura - 12 de novembro de 2019
Prezados Ministra Tereza Cristina e Secretário Executivo Marcos Montes,
Nós da Associação dos Cafeicultores do Brasil vimos respeitosamente nos dirigir a V. Sas. Afim de denunciar que a Organização Internacional do Café-OIC divulgou no seu relatório de outubro de 2019 informações de dados errôneos e manipulados sobre a produção mundial de café para a safra de 2019.
Infelizmente esta organização não respeita os dados oficiais do Governo Brasileiro, manipulando assim os verdadeiros dados e este erro colabora para que os preços de café permaneçam aviltados, levando a miséria e pobreza a 25 milhões de famílias de cafeicultores no mundo.
“Produção global de café diminuirá em 2019/20
A produção mundial de café no ano cafeeiro de 2019/20 é projetada 0,9% menor, para 167,4 milhões de sacas, com declínio de 2,7% na produção de arábica para 95,68 milhões de sacas, enquanto a produção de Robusta deverá aumentar em 1,5% para 71,72 milhões de sacas. A produção da América do Sul deverá cair 3,2%, para 78,08 milhões sacos, devido em grande parte ao declínio na produção de arábica do Brasil em seu off-year do ciclo bienal das culturas. Prevê se que a produção da Ásia e Oceania cresça 1,9%, para 49,58 milhões de sacas, devido em grande parte a recuperação da produção da Indonésia, enquanto o Vietnã deve permanecer estável. América Central e México poderia ver um aumento de 0,9% para 21,54 milhões de sacas, enquanto a produção da África é estimada em um declínio de 0,6% a 18,2 milhões de sacas. É provável que o crescimento do consumo mundial de café diminua em 2019/20, em linha com crescimento mais lento esperado para a economia global, e a demanda deverá aumentar em 1,5% para 167,9 milhões de sacas. ”
Nota-se que a OIC informou que a produção a produção da América do Sul deverá cair apenas 3,2%, para 78,08 milhões sacos, devido em grande parte ao declínio na produção de arábica do Brasil em seu off-year do ciclo bienal das culturas.
No mesmo relatório na página 7 foi apresentado uma Tabela 3 denominada Balanço mundial de oferta / demanda que reproduzimos abaixo:
Os principais países produtores de café que compõe a América do Sul são Brasil, Colômbia, Peru, Equador, Venezuela e Bolívia, então a somatória de produção da América do Sul de 2019 foi estimado em 78,08 milhões de sacas, quando no ano anterior foi 80,69 milhões de sacas.
Porém nos anos de 2015 até 2018 a própria OIC publica nas suas estáticas em anexo que as produções destes países foram:
Observem que já em anos anteriores a OIC não respeita os dados oficiais do Brasil, porém o mais grave ocorre agora, vamos explicar.
As safras dos outros países da América do Sul mantem uma certa constância de produção, não há o efeito de bienalidade expressiva em suas produções cafeeiras, então podemos estimar que para o ano de 2019 as produções destes países serão próximas a dos anos anteriores, a média dos 4 anos anteriores foi de 19,35 milhões de sacas conforme abaixo.
Desta forma, partindo de uma estimativa de 19,35 milhões de sacas no ano de 2019 e considerando que a OIC divulgou uma safra para a América do Sul em 78,07 milhões de sacas, consequentemente a produção do Brasil para 2019 foi estimada em 58,73 milhões de sacas.
Porém a CONAB divulgou em setembro de 2019 o ACOMPANHAMENTO DA SAFRA BRASILEIRA DE CAFÉ, V.5 – SAFRA 2019 – N.3 – Terceiro levantamento | setembro 2019, em anexo, no qual indicou a produção brasileira em 48,99 milhões de sacas, copiado abaixo.Desta forma, é enorme a diferença de estimativa de produção publicada pela OIC para a América do Sul, pois a diferença correta é menos 9,74 milhões de sacas produzidas em 2019.
Inclusive no que tange a produção de cafés arábicos, a CONAB indica uma produção do Brasil em 2019 em referência a safra de 2018 de menos 13,01 milhões de sacas, pois em 2018 a produção foi estimada em 47,48 milhões de sacas em 2019 de apenas 34,46 milhões de sacas.
A OIC aponta uma diminuição de produção de cafés Arábicos de apenas 2,65 milhões de sacas, sendo em 2018 um total de 98,33 milhões e em 2019 de 95,68 milhões de sacas, quando a diminuição apenas no Brasil foi de 13,01 milhões de sacas.
Considerando correta os dados de todos outros países, a exceção do Brasil, a correta diminuição de safras de arábicos é de 10,36 milhões de sacas, nota-se que o erro da OIC é proposital, afim de criar uma oferta de café inexistente.
Nota-se que os relatórios da OIC são sempre enviesados para parecer que sempre há excesso de produção de café, causando superávits, a quem a OIC quer ajudar?
Como é de conhecimento geral, sabemos que no setor produtivo mundial temos uma concorrência perfeita, isto é, milhões de cafeicultores em países pobres e do lado industrial temos um oligopólio, poucas industrias em países ricos, então dado a esta desigualdade traz uma falha de mercado, gerando a ineficiência e prejudicando os mais vulneráveis, que são as 25 milhões de famílias de cafeicultores mundiais.
Atualmente a formação de preços se dá em mercados futuros onde os grandes fundos de investimento que na realidade são grandes especuladores e que não produzem nenhum grão de café, vendem milhões de sacas de café, criando assim uma enorme e artificial oferta de café.
Então temos uma um oligopólio importador, aliados a grandes especuladores e ajudados por entidades que se dizem representar os cafeicultores divulgando informações errôneas com dados manipulados e sempre aumentando a produção de café.
Isto é cruel e criminoso, prejudica diretamente mais de 100 milhões de pessoas que são os familiares dos cafeicultores mundiais, inclusive brasileiros, Nações estão sendo exploradas e levados a pobreza e miséria.
Enfim, no ano de 2019 haverá um déficit de produção versus consumo próximo de 10 milhões de sacas e a OIC tenta esconder este fato.
Resumindo, milhões de cafeicultores no mundo são manipulados a entregarem o fruto de suas colheitas a preço vil por uma ardilosa manipulação de informações que fazem os preços de café serem abaixo do custo de produção, é a moderna escravização do século XXI.
Nosso Presidente Jair Bolsonaro nos ensina uma passagem bíblica. João 8:32: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará"
Diante do exposto, solicitamos que V. Sas. Em nome dos cafeicultores brasileiros e da soberania do Brasil tomem as devidas providencias e exijam que a Organização Internacional de Café corrija este erro e manipulação de dados com a máxima urgência, informando e publicando a verdade, pois milhões de cafeicultores estão sendo explorados.
Fonte: Associação dos Cafeicultores do Brasil
Crédito: DP Pixabay

sábado, 12 de outubro de 2019

SINCAL participa da cerimônia de premiação do 2º Concurso Municipal de Qualidade de Café de Guapé/MG



O presidente da SINCAL, Armando Mattiello, participou nesta sexta-feira, dia 11/10/2019 em Guapé/MG, da cerimônia de premiação do 2º Concurso Municipal de Qualidade de Café, promovido pela Prefeitura Municipal juntamente com a EMATER.

Nesta edição, concorreram 30 amostras de diversas áreas do município de Guapé, que tem uma variação entre cafés de montanhas, acima de 1.200 metros de altitude até áreas de cerrado.

Segundo os organizados e o grupo de jurados que apuraram os vencedores, o grande diferencial desde evento foi a excelente qualidade de todos os cafés provados.

Na abertura da solenidade o presidente da SINCAL ressaltou a importância na realização destes eventos, pois incentiva o produtor a buscar, cada vez mais, a qualidade, agregando valor ao seu produto, parabenizou a organização na pessoa do prefeito municipal Sr. Nelson Alves Lara, do técnico da EMATER em Guapé o Sr. José Rogério Lara e do Secretário de Agricultura Municipal o Sr. Talmo Lúcio Oliveira, em seguida fez explanação sobre as ações da SINCAL junto aos órgãos governamentais para a implantação da OCAFÉ - Organização dos Países Produtores de Café, entidade internacional que visa implantar uma política no setor cafeeiro onde possa melhorar a renda e qualidade de vida dos cafeicultores.

Após a premiação, o Sr. Armando Mattiello parabenizou a todos os participantes e em especial os 5 finalistas, que tiveram cafés classificados com pontuações excelentes.



...“Parabenizo os irmãos Leandro Ferreira Lima e Adriano Ferreira Lima vencedores deste concurso e também parabenizo a todos os demais participantes, todos são vencedores por se fazerem presentes aqui hoje, não tenho dúvidas que os cafés da região estão entre os melhores cafés brasileiros, se não do mundo, parabéns aos organizadores do evento e todos os envolvidos.” ...